Igreja no Paquistão é incendiada após muçulmano ameaçar culto de Páscoa

  • 02/04/2024
Igreja no Paquistão é incendiada após muçulmano ameaçar culto de Páscoa
Igreja no Paquistão é incendiada após muçulmano ameaçar culto de Páscoa (Foto: Reprodução)

Cristãos suspeitam que um homem muçulmano está envolvido em um incêndio no prédio de sua igreja em 30 de março. Segundo relatos, prometeu impedir as celebrações da Páscoa na congregação, que fica no distrito de Rawalpindi, no Paquistão.

Segundo o reverendo Adeem Alphonse, da Igreja Presbiteriana Unida Júnior, em Gujar Khan Tehsil, o incêndio que aconteceu na madrugada consumiu tudo que havia dentro do prédio de sua igreja.

"Nossa igreja foi atacada por volta das 3 horas da manhã no sábado", disse o Pastor Alphonse.

"O grande incêndio queimou tudo dentro da igreja, incluindo Bíblias, o sistema de som, móveis e cortinas, entre outros. Suspeitamos fortemente que seja um caso de incêndio criminoso, mas a polícia e a administração estão tentando abafar o assunto, classificando-o como resultado de um curto-circuito na fiação elétrica."

A congregação tem suspeitas sobre um empresário muçulmano, conhecido como Sheikh Ahmed, que ameaçou publicamente impedir que realizassem um culto de Páscoa. Segundo o pastor Alphonse, Ahmed tem tentado forçá-los a sair para incorporar a propriedade a uma praça adjacente que ele está desenvolvendo.

Sexta-Feira Santa

O pastor relatou que Ahmed interrompeu o culto da Sexta-Feira Santa ao tentar derrubar as coberturas das tendas montadas do lado de fora do prédio.

"Quando a polícia impediu Ahmed de causar tumulto, ele ameaçou nossos líderes da igreja, dizendo que não nos permitiria realizar o culto de Páscoa a qualquer custo," disse o Pastor Alphonse à Christian Daily International-Morning Star News.

“Retomamos nosso culto de Sexta-Feira Santa pensando que a polícia iria falar com ele com bom senso, mas fiquei chocado quando recebi um telefonema na mesma noite em que minha igreja estava pegando fogo.”

Ele afirmou que Ahmed, que anteriormente dirigia uma empresa de fornecimento de construção, há muito tempo tem interesse nas propriedades que a igreja aluga do governo.

“Quando cheguei à igreja, os bombeiros estavam empenhados em apagar o fogo, enquanto um enorme contingente policial também estava presente lá”, disse o pastor, que mora em Rawalpindi, a 55 quilômetros da igreja.

Ele explicou que o dono de uma farmácia muçulmano, que viu as chamas, chamou os bombeiros. Após apagarem o incêndio, o pastor e alguns presbíteros da igreja observaram que o fogo teve início na porta de madeira do salão principal da igreja.

“Tudo dentro foi reduzido a cinzas”, disse o pastor Alphonse. “Quando verificamos a fiação elétrica, não vimos nenhum sinal de curto-circuito.”

Javed Masih, que é ancião da igreja, apresentou uma queixa à polícia nomeando Ahmed como suspeito, mas os policiais não incluíram o nome de Ahmed no Primeiro Relatório de Informações, que alegou que o incêndio foi causado por um curto-circuito, relatou ele.

O policial municipal de Rawalpindi, Syed Khalid Mehmood Hamdani, afirmou em um comunicado à imprensa que o incêndio foi provocado por um curto-circuito. Ele acrescentou que as investigações estão em andamento e que a polícia divulgará um relatório final após um exame forense detalhado.

Protestos

As tentativas da polícia de favorecer Ahmed provocaram um protesto por parte dos cristãos, que exigiram uma investigação transparente.

O pastor Alphonse informou que a igreja possui 265 membros, a maioria dos quais são pobres.

“Apesar dos escassos recursos, a congregação reuniu fundos e recentemente instalou um novo teto no salão e comprou um sistema de som, que agora foi destruído pelo incêndio”, disse ele.

Inicialmente, a congregação tentou realizar o culto de Páscoa na rua para protestar contra a inação da polícia, mas desistiu após o comissário assistente de Gujar Khan, Murad Hussain Nekokara, garantir que o incidente seria investigado de forma justa.

(Foto: Reprodução)

O reverendo Adeem Alphonse (centro) e outros exigem justiça após incêndio no prédio da igreja em Gujar Khan. (Foto: Christian Daily International-Morning Star News)

“Realizamos nosso culto de Páscoa no porão do Jinnah Hotel”, disse o pastor Alphonse.

“Eles relutaram em nos ceder o salão devido ao mês sagrado muçulmano do Ramadã, mas acabaram concordando. Embora tenhamos podido realizar o nosso culto de Páscoa, os nossos corações estão profundamente tristes pela destruição da nossa igreja e queremos justiça por parte do governo.”

Cristãos chocados

Adeel Rehmat, líder sênior da Igreja Presbiteriana e CEO da organização de desenvolvimento Pak Mission Society, declarou que o incidente deixou os cristãos em todo o Paquistão chocados.

“Muitos cristãos celebraram a Páscoa com corações sombrios”, disse Rehmat ao Christian Daily International-Morning Star News.

"Ainda estamos sofrendo com a memória dos ataques em Jaranwala e agora este incidente nos causou dor em uma ocasião tão auspiciosa. A administração e a polícia devem considerar a demanda justa da administração da igreja e garantir que os perpetradores, se houver, sejam levados à justiça, não importa quão influentes sejam."

Desde a criação do Paquistão em 1947, o prédio da igreja na principal rodovia Grand Trunk tem sido um local de culto para os cristãos locais, afirmou o pastor Alphonse.

“O edifício era anteriormente usado como templo hindu, mas o governo paquistanês alocou o edifício aos cristãos após a partição, quando a comunidade hindu da região decidiu migrar para a Índia”, disse ele.

Há oito anos, após a morte de seu pai, que liderou a igreja por mais de 22 anos, ele foi nomeado pastor da igreja.

“A propriedade é do Departamento de Auqaf do governo de Punjab e nos foi alugada”, contou.

O Paquistão manteve sua posição em sétimo lugar na lista mundial de observação da Portas Abertas de 2024, que identifica os lugares mais difíceis para os cristãos viverem, assim como no ano anterior.

FONTE: http://guiame.com.br/gospel/missoes-acao-social/igreja-no-paquistao-e-incendiada-apos-muculmano-ameacar-culto-de-pascoa.html


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Anunciantes